31 de julho de 2017

Escrevendo para me libertar

Nós criamos prisões dentro de nós mesmos e isso traz a vontade de lutar pela liberdade. Estou escrevendo para me libertar do arrependimento, do erro imperdoável que eu cometi, preciso escrever para saber que minha mente ainda consegue trabalhar de forma racional, que o meu coração mole não vai falar mais alto agora, ceticismo é algo que existe para muitos sentimentos e para que eu consiga viver bem eu terei que agir da mesma forma, preciso bloquear os pensamentos negativos para não me afundar por causa de uma cagada que eu cometi e que leva a minha motivação ao fim. Eu estou livre para ser quem eu sou, como sou, mas tenho que agir conforme manda a música, tenho que ser resiliente e bater de frente contra todas as adversidades que possam aparecer, sei que tenho capacidade e vontade de estar aqui lutando por algo. Lutar por alguém é algo que farei somente para aqueles que os laços estão distantes de ser destruídos.
A vida é aprendizado até não termos mais nada a oferecer e partirmos. Todos nós vivemos o gene egoísta, gene este que está aqui para sobreviver e agirá de forma conveniente até o seu final, isto é ser politico, isso está no nosso sangue, ser um homem hoje em dia não significa muita coisa então me resta agir daqui em diante com caráter renovado para não cometer com qualquer pessoa que seja, erros que cometi em outras situações que já vivi antes disso.
Eu vou seguir por mim pois não tenho outra forma de acabar com a minha dor, não vou viver com esperança mas no fundo e de verdade minha motivação sempre estará aqui, eu vou abafa-la para que eu não viva ilusões, expectativas frustrantes e desgaste desnecessário de energia emocional.
Guardo todo o amor do mundo para a Mirella, sou grato por tudo e devo muito a ela, mulher de verdade e que tem plena consciência de que está acima de tudo que vivemos até agora.

Vou seguir com um novo trecho que tirei de um livro muito bom:

"Até onde sabemos, de um ponto de vista puramente científico, a vida humana não tem sentido algum. Os humanos são o resultado de processos evolutivos cegos que atuam sem propósito ou objetivo. [...] 
Até onde podemos afirmar no presente momento, a subjetividade humana não faria falta. Portanto, qualquer significado que as pessoas atribuem a própria vida é apenas uma ilusão" 
(pág 402, Sapiens, Yuval Noah Arari.)

Vou usar esse trecho como um mantra para não me sentir mal comigo mesmo, se eu me sentir um lixo pela merda que eu fiz vou fazer mal para mim mesmo e minha vida segue.

28 de julho de 2017

O Escadão

Não sei como eu posso me sentir parte de um lugar tão ridículo como esse, é minha quebrada, faz parte da minha história, um escadão que passa a maior parte do tempo sujo e de repente de madrugada, é o lugar mais tranquilo e que pude por um segundo me aproximar de mim e perceber o quanto somos fracos, covardes mas ao tempo reconhecemos que até agora fomos fortes e não iremos fraquejar, só assim para equilibrar os sentimentos, um pouco de contemplação, observação e uma paz única. Com barulhos que a estragam mas que comprovam que é aonde eu vivo. 
Eu sigo nessas ruas por meses a fio em busca de algo efêmero e necessitando de cortesias, simpatias e conversas longas e inúteis. Matem em mim a minha carência, me brindem com a frieza. Preciso de sentir a frieza de outra pessoa no corpo a corpo, a frieza do bom sentido, se é que existe um. Acabo de deixar para trás o escadão que rapidamente me eleva e também leva pra baixo. Que paz. Acredito que posso sentir mais que isso e arrumar coragem para viver.   

15 de julho de 2017

Observações

Na música Preta de Quebrada da Flora Mattos há uma citação ao fundo que retrata perfeitamente meu relacionamento atualmente e acredito que muitas pessoas nem entenderam esse trecho.

"Saber como nos posicionar internamente
Pra que qualidades naturais brotem
Sem a gente precisar entrar em acordo
Sem a gente dizer assim: Cê vai me amar por 30, 20, 40, 50 anos?
Certamente a pessoa vai te amar, pra sempre
Mas talvez não da forma como a gente gostaria
Não no esquema em que a gente gostaria
As coisas vão mudando
As faces do amor podem mudar
Mas a gente não sabe, a gente não sabe se relacionar
Com a realidade nessa perspectiva, né? Da liberdade
Isso é convite pra ser adulto

Nós não vamos mais controlar a vida pra nós sermos felizes
Nós vamos nos responsabilizar pela nossa felicidade de forma autônoma
Nos conhecendo e como seres maduros, adultos
A gente vai dar liberdade para as pessoas
Serem o que elas são e o que elas podem ser
Isso é amor"

24 de junho de 2017

Conjuntura pessoal

Eu que sempre me orientei como anarquista por princípios e práticas cheguei a um nível ainda mais elevado dentro da anarquia. 

Tudo é efêmero e se torna utópico, e que diante da vastidão de princípios diferentes sobre as relações fica ainda mais difícil se falar sobre liberdade. Existe uma profunda crença enraizada na nossa sociedade de que relacionamentos são posses (ao ler a A Origem da Família, da Propriedade Privada e do Estado. percebo a relação de negócios de um casamento), ainda mais quando todo o viés de cunho romântico, que demanda uma troca de amor, é culturalmente cheio de imposições, é comercializado e criado na mente das pessoas como algo cheio de regras e o amor só acontece quando é livre e aprendi com meu relacionamento o que é isso.

Eu atingi o tão mal esclarecido amor livre, um amor verdadeiro e tão incomum que é visto de forma errada por causa destes velhos paradigmas, imposições machistas do passado. Somos sexualmente livres e eu precisava expressar isso, é uma conquista muito valiosa do meu ponto de vista anarquista, é algo que eu sei que as pessoas não aceitam bem pois maioria das quais conversei sobre o assunto não recebem bem esta informação, mas para mim é o contrário do que eles sentem, eu sinto elevação, evolução, não me importo com o que pensam sobre isso.

No inicio fiquei desnorteado mas depois percebi que era o melhor a se fazer.

Meu amor pela minha parceira permanece o mesmo e aumenta todos os dias da minha vida, mas com certeza esta liberdade sexual suprirá o que não podemos mais encontrar um no outro e nossa maturidade nos permite separar as coisas.

Este é um dos momentos mais felizes da minha vida pois é de perceptível evolução e revolução para mim é principalmente aquela que começamos em nós mesmos.

23 de dezembro de 2016

Inversões de Valores (parte 2)

A polícia no Brasil age de forma truculenta em várias questões, não resolve os problemas de segurança e levam insegurança para as favelas, vários dados, fatos, estudos comprovam que a polícia aqui é uma das piores do mundo, a polícia daqui defende só bairros ricos, defende só quem tem dinheiro, defende bancos, defende ladrões milionários e enquanto isso a base da piramide é marginalizada e criminalizada.

Nas manifestações é sempre a polícia que age de maneira brutal e absurda, possuindo armamento e muito mais e a mídia somada a uma parcela da população acreditam que os manifestantes que são o problema, que aqueles que lutam por um mundo melhor, que lutam por coisas coerentes são os que estão errados. A frase do Malcolm X, todo mundo já deve conhecer por ser tão verdadeira:

“Se você não for cuidadoso, os jornais farão você odiar as pessoas que estão sendo oprimidas, e amar as pessoas que estão oprimindo.” Malcolm X


E aqui o amor pelos opressores é absurdo, eles amam e os defendem, não entendem sobre os jogos políticos dos quais fazem parte.

Alguém precisa entender que ser contra a policia militar, ser contra a sua forma de treinamento não significa que deixamos de ser contra o assassinato de policiais em horário de trabalho e principalmente fora do horário, pra mim, policial trabalhador é aquele que além de ser policial está ciente de que é cidadão, não abusa do poder que tem, não reprime outros trabalhadores e faz o seu trabalho como ele deve ser. Já li matérias que policiais assumem que o treinamento militar embrutece o homem, tira dele toda forma de sentimento que ele possa ter e é basicamente isto que se afirma na realidade.

Ser, eis que...

Wilian Barbosa

Ser, tudo que o ser humano quer é ser reconhecido, ser alguém, afirmar a própria existência.
Tem gente que não precisa de muito, naturalmente tem significado, são humildes e honestas para ser quem são, mas tem gente que não consegue ser e tem que se afirmar com o parecer.
Não sou ninguém pra dizer quem pode ser alguém ou não, todos devem e merecem reconhecimento mas muitas vezes elas não usam um bom caminho.
Tem pessoas que para serem reconhecidas atacam outras pessoas e isso é falta de caráter. É como um alpinismo nas costas das outras pessoas.
O facebook é um lugar de aparências tomado de superficialidade mas ao mesmo tempo reconhecemos que há seres sábios que sabem o que dizem e não falam a toa. É o muro das lamentações em aberto de quem não sabe de nada e ao mesmo tempo é um lugar de quem conhece bem o que tanto afirma.
Você desliga a televisão para se livrar do apocalipse e encontra ele na internet, tem gente que reclama mas é porque não sabe filtrar o conteúdo, e como disse outra vez é muita gente reclamando para pouco problema solucionado. Mesmo eu falando aqui não acredito que vá interferir a vida de alguém, somente vou dizer coisas que sempre tem me feito pensar.
É estranho as pessoas se incomodarem por condições da natureza humana. Conviver com as diferenças é obrigação em um mundo onde cada um pode afirmar o que quiser.


6 de dezembro de 2016

Inversão de Valores

Eu queria falar deste assunto já faz um tempo, pois eu vivo uma realidade e muitas pessoas parecem viver em uma realidade paralela da qual eu desconheço.

Muitos brasileiros falam mal de Cuba, dizem que é um país cheio de miséria e culpam o comunismo por isso mas eles se esquecem que a democracia estadunidense foi quem barrou o avanço do país em vários sentidos, e estes problemas também existem lá nos Estados Unidos. A propaganda deles é tão boa que eles nunca tem culpa de nada, muita gente acha que eles são inocentes e que nunca invadiram nenhum país, eles são os mocinhos.

Aqui no Brasil as pessoas ocupam lugares que latifundiários tomam de índios, de famílias pobres muito antes, mas para os brasileiros (não todos) eles não são culpados, o problema são só os ocupantes. A corda arrebenta para o lado mais fraco. Os políticos e empresários que enriqueceram as custas do povo nunca estão errados.

Eu já vi gente falando: "filme brasileiro fala muito palavrão", mas eles não sabem que os filmes de Hollywood quando dublados perdem maior parte do palavrões, até nas legendas alguns palavrões são suavizados. Quem vê pensa que essas pessoas são santas.

Já me disseram que a desigualdade social é um "delírio esquerdista" mas é um fato, independente de lado político.

Esses são só alguns exemplos de contradições que eu vejo no dia-a-dia, o âmbito do problema é muito maior e ainda me fará voltar aqui para citar mais exemplos.