19 de março de 2012

Amores breves de mêtro.

Tudo sonho, dessa vez são mil vezes mais alimentados de vontade e falta de coragem.
E por minutos se cria mais um sonho.
Dessa vez seu estilo era demais, era tanto estilo que as outras garotas lindas que tambem estavam lá, não eram assim lá tão, convincentes.
Um entra e sai de pessoas iguais e frias, poucas as que demonstravam paz interior e falta de stress.
E nos bancos azuis a tiazinha japonesa se ofereceu pra segurar a mochila de estilosa garota,
sua cara de aventureira me fez viajar pelas longas estradas que cortam o deserto do arizona, com aquele empala de luxo.
Sonho é sonho e não se deve discutir o quanto ele é estranho. Mas se fazia possivel.
Era tudo lindo e imaginei o quanto seria dificil lhe dar com uma garota tão seria, porque ela demonstrava essa seriedade.
Parecia estar indo praticar algum esporte, ou fazer alguma trilha, mas o mais provavel é que ela faria trilhas e trilhas de calçadas paralelepizadas, desformes ou lisas.
A senhora com sua mochila desceu e entregou a ela a mochila, logo ela se sentou porque a estação já havia esvaziado.
Logo me veio na mente aquelas coisas inuteis que sempre me deixam com aquele certo medo de chegar junto.
Mas por mais vazio que o metro estivesse, eu temeria as reações.
Mas o sonhos alimentados me deixam tão tranquilo,
saio sorrindo e fico pensando se não alimentei algum sonho.
Que garota linda, já não era nem a esportista que eu levei pelo deserto
Era agora uma linda morena, com olhos brilhantes e brincos largos, que davam aquele charme.
oculos de armação grossa e pele alva, com nos meus sonhos, bochechas grandes que me lembravam quem eu não queria,
mas se fazia muito mais interessante e ainda assim alimentaram novas utopias na mente do pupilo da criatividade.
As perguntas sempre vem, porque ela?
Porque eu não tenho coragem de dizer nada?
Não quero ter coragem quando amores platonicos são tão interessantes, você imagina o lado bom da pessoa e esquece
que ela pode ter defeitos, defeitos que tornariam a pessoa tão unica, que acabam virando o charme ou a discussão quente,
mas que acaba depois de um beijo de cala a boca e vira um abraço forte, até virar ao contrario e eu perceber que só estou alimentando minha falta de coragem.
Sempre disse que o medo impede de evoluir, ai percebo que por causa de algumas questões vou viver estagnado na mesma ideia.
Alimento o medo e alimento a vontade, mas faço do desejo um pouco de criatividade.
Que deixa algumas historias, que ainda se dispersam quando você ouve o freio do metrô chegando na estação em que a garota do seu sonho, vai descer e seguir para o mundo fora daquele subsolo.
Oh, como foi bom sonhar, pelo menos quando alguem de verdade poderia alimentar esse sonho, eu me sustento com os personagens que eu mesmo crio.
Crio não, eles existem, só aguardo que aquela oportunidade volte e eu volte com mais coragem.


Nenhum comentário:

Postar um comentário